A mulher negra e seu espaço na moda

Solange Knowles por Julia Noni
Solange Knowles por Julia Noni

Há anos as mulheres negras têm sido excluídas dos editoriais e passarelas de moda e beleza, e consequentemente é muito difícil encontrarmos inspirações que de fato traduzam o que procuramos e que não nos tirem nossa identidade.

Para piorar a visão da mulher negra dentro do mundo fashion, em consequência do domínio de estilistas brancos nas passarelas e no comando das marcas, e é claro, o fato de tudo ser vendido dentro dos padrões eurocêntricos cultivados pela sociedade como o que é bonito e aceitável, a nossa cor e nosso cabelo são cada vez mais excluídos. Modelos brancas representam as mulheres brancas, em tutoriais de cabelo e maquiagem, mas pouco há para as negras, e quando há, com pouco destaque.

Um exemplo de como a pele negra é naturalmente menosprezada aconteceu esta semana, a Revista americana Cosmopolitan, decidiu listar tendências aceitáveis e não aceitáveis em 2015, chamando as primeiras de “Hello, gorgeous” (que seria “Olá, maravilhosa”) e “To die” (que seria uma tendência “para morrer”). “Coincidentemente”, todas as tendências listadas no lado negativo da lista, eram usadas por mulheres negras.

Mesmo no Brasil, onde se clama tolerância e diversidade, as modelos mais famosas internacionalmente são brancas. Claro que tivemos bons exemplos de representatividade nas passarelas, Naomi Campbell, Alek Wek e Tyra Banks são incrivelmente bem sucedidas e referências desde os anos 90, quando começaram a trabalhar. E no Brasil, as gêmeas brasileiras Suzane e Suzana Massena têm conquistado cada vez mais espaço nas passarelas. Ao contrário das mais velhas, elas não alisaram ou rasparam o cabelo para desfilar.

Mas ainda não dá para ter uma visão positiva, considerando o tanto a caminhar e barreiras de preconceito a se quebrar, desde os ateliês e desfiles, até as revistas e marcas de roupas que falham na pesquisa sobre referências africanas e vendem se apropriando de cultura. A maioria sem usar mulheres negras para estampar os editoriais, sejam eles temáticos, sejam eles “mistos”.

Ainda bem não nos deixamos ser reduzidas em meio a cultura. Para as mulheres negras, se a moda não as representa, elas representam a todas as outras com a moda delas.

Depois de descobrir, aceitar e me identificar com minhas raízes, comecei a procurar outras referências, e percebi que não eram só minhas. São mulheres jovens, mas comprometidas com sua identidade, corpo e mensagens que querem passar, para inúmeros seguidores que também se inspiram nelas. Elas têm usado a moda como seu espaço de trabalho, passando por cima de regras sobre cabelo ou “cores que combinam com seu tom de pele”, e sem pedir licença.

Para elas não precisa ter corpo, cor, nem cabelo de modelo para ter seu lugar no mercado da moda, elas desfilam, inspiram e também comandam! E é claro que tanto poder assim merece uma lista de inspiração:

 

TK Wonder e Cipriana Quann

 
TK Wonder e Cipriana Quann

De parecidas com as Olsen, só o fato de serem gêmeas. TK Wonder e Cipriana Quan são nascidas no Brooklyn, Nova York, Estados Unidos e ficaram conhecidas na internet por seus estilos autênticos, que seguem tendências sem perder personalidade e referências afro em estampas e cortes. Elas servem cores vibrantes, sobriedade, ou estampas étnicas, sempre com combinações incríveis e muita atitude em todos os looks.

Em todas as fotos posam TK Wonder e Cipriana respectivamente | Fotos: Divulgação via Instagram

E as meninas são ocupadas, TK é produtora musical e co-fundadora do Urban Bush Babes. Já Cipriana ganhou o título de “Vogue’s Best Dressed 2015” por causa de seu estilo pessoal.

 

Solange Knowles

 
Solange Knowles

Ela mesma, a irmã da musa da música Beyoncé, que você já deve ter ouvido falar por causa do casamento super elegante e inovador ou por ter brigado feio com o cunhado Jay-Z no ano passado.

Nós da Ovelha preferimos lembrar dela pela incrível artista que ela é, cantando, dançando e se apresentando de um jeito só dela, esbanjando personalidade e talento… Além de seu estilo, é claro, cheio de cores e estampas bem alegres, tudo sem perder a elegância de uma mulher adulta.

Solange Knowles
Fotos: Divulgação via Instagram 

Sou muito fã da Beyoncé, mas confesso que quando o assunto é moda, eu pesquiso por Solange na família Knowles.

 

Rihanna

 
Rihanna

Todo mundo conhece a Bad Girl Riri como ela mesma se apelida por suas músicas e voz marcantes, mas já listamos os grandes feitos dessa mulher ultimamente? Ela é diretora criativa da Puma, tem uma linha de produtos da Mac inspirados em sua beleza AND, é a primeira mulher negra a estampar uma campanha de cosméticos da marca Dior. Esse ano Rihanna ainda estreia dublagem e trilha sonora do filme Home da DreamWorks, o que não tem muito a ver com moda em si, mas nos anima bastante!

Rihanna | Fotos: Divulgação Instagram
Rihanna | Fotos: Divulgação Instagram

Riri saiu de Barbados para fazer tudo isso sem perder um pingo da sua pose confiante, personalidade forte e misturando com a meiguice de sua beleza natural.

 

Magá Moura

 
Magá Moura

Se você não conhece o estilo da brasileira Magá Moura, corre pra procurar! Ela chama atenção com essas tranças sempre coloridas, mas devemos destacar também o estilo cheio de personalidade, um esportivo misturado com peças elegantes e cores vibrantes, e sempre de tênis!

Magá Moura
Fotos: Divulgação via Instagram

Essa vai chegar de sneakers, quebrando as regras do salto alto e arrasando! Magá empresta esta imagem linda dela para fazer campanha para a Nike Brasil e representar outras marcas.

 

Amina Mucciolo

 
Amina Mucciolo

Para quem gosta das tranças coloridas e chamativas, mas prefere manter um visual mais romântico e girlie, a Amina Mucciolo não só vende o material para as tranças em sua loja online Studio Mucci, como também te inspira com as fotos dela!

Amina Mucciolo
Fotos: Divulgação via Instagram
 

Cristiane Oliveira

 
Cristiane Oliveira | Instagram: @prettamesmo

Menos é muito mais para esta moça, nada fica muito básico com esta postura e composições de looks que ela posta em seu perfil no Instagram, onde mais de 15 mil seguidores acompanham suas selfies cheias de atitude todos os dias.

Cristiane Oliveira | Instagram: @prettamesmo
Fotos: Divulgação via Instagram
 

Blanke Von D

 
BLAKE VON D

Ela é estudante de direito, e blogueira de moda. Seus looks servem de inspiração para quem gosta de elegância, conforto, maturidade e sem deixar de ser sexy, porque nem precisa.

BLAKE VON D
Fotos: Divulgação via Instagram
 

Luma Nascimento

 
Luma Nascimento

No perfil da Luma no Instagram tem incríveis amarrações de turbantes para se inspirar, looks estampados maravilhosos, e esse sorrisão lindo.

Luma Nascimento
Fotos: Divulgação via Instagram

Também dá pra achar essas peças maravilhosas que ela usa na loja Dresscoração, da qual ela é sócia!

 

Lupita Nyong’o

 
Lupita Nyongo

2014 foi o ano de Lupita, atriz mexicana de origem queniana. Ela ganhou o Oscar de melhor Atriz Coadjuvante por sua atuação em 12 Anos de Escravidão, e muitos outros premiadores de cinema, além do título de Mulher Mais Linda do Mundo pela People e Mulher do Ano pela Glamour Award.

E não foram só os prêmios que marcaram, foi a resistência de Lupita diante de tantas críticas, principalmente com relação aos prêmios de beleza. E ela responde até hoje servindo de inspiração com vestidos de gala maravilhosos nos tapetes vermelhos e ensaios de moda deslumbrantes.

Lupita Nyongo
Fotos: Divulgação via Instagram

Vamos encerrar então este post cheio de mulheres poderosas com o encontro de Lupita Nyong’o e sua ícone de beleza Alek Wek, que eu citei lá no comecinho:
 

Mais de Karoline Gomes

As minas que valem por 100

Assim como Jogos Vorazes e Divergente, franquias de filmes (e séries de...
Leia mais
  • larissaregia

    Menina, e non é? Eu tenho uma loja de saias que eu mesma faço. E até fiz um post no site sobre a Solange esta semana! Se te interessar, tou mandando o link: http://www.weloveskirts.com

    Cara, tou AMANDO este site maravilhoso. Como eu não conhecia antes?!?!? <3 <3

    • Karoline Gomes

      Bacana, Larissa! Solanginha AND Riri de inspiração no seu site!
      Que bom que está gostando do nosso trabalho aqui, continue acompanhando ;D

  • Pingback: Não, meu afro não está na moda | Ovelha()

  • Estou super emocionada de ver que este post chegou até a Luma e a Magá, que divulgaram e amaram! Parabéns, Karoline! ♡ ♡ ♡

  • Pingback: Afropunk: o movimento que liberta | Ovelha()

  • Pingback: Setembro de representatividade | Ovelha()

  • juniorkadeshi

    Inrcrivel essa matéria. Não sou negro nem tenho negros entre a minha “genealogia recente”, ou seja, dos bisavós pra cá. Apenas meu avô paterno não é branco, é indígena. Amo a cultura negra, e acho terrível realmente essa apropriação dela na moda, muitas vezes de forma “circence”, pelo menos na minha opinião. Lembro da primeira vez que vi Alek Wek em algumas fotos de moda. Eu ainda era adolescente, e aquela mulher negra, preta mesmo, enorme, careca, com aqueles traços totalmente diferentes do que a gente já tinha visto no mundo da moda. Me encantei absurdamente com ela. Aquela presença forte, quase uma entidade desfilando! Incrivel demais. Admiro muito essas mulheres citadas na matéria. Pelo empoderamento, coragem, orgulho da cor e raízes. Mais uma vez, parabéns pela matéria incrível!