Amo/Sou: Winona Ryder

Wino Forever

Winona Ryder é um ícone e tanto. Seja para as garotas da sua geração ou das que vieram depois, ela é símbolo da atitude alternativa e cool que marcaram os anos 90. Winona é lembrada por seus filmes, sua interpretação, seu estilo, suas polêmicas e por, claro, Johnny Depp.

Suas caras e bocas são memoráveis. Sua voz e jeito de falar é único. Pra comemorar seu aniversário, listamos alguns motivos que amamos Winona Ryder, chega mais ;)

 

1. Winona está nos filmes mais legais dos anos 90

Se você ama os filmes alternativos, com certeza já ama ou vai amar os filmes estrelados pela Winona Ryder. Alguns dos mais legais pra você assistir já: Heathers (Atração Mortal), Edward Scissorhands (Edward Mãos de Tesoura), Little Women (Adoráveis Mulheres), Girl Interrupted (Garota Interrompida), Beetlejuice (Os Fantasmas Se Divertem), Mermaids (Minha Mãe é uma Sereia), Reality Bites (Caindo na Real) e Drácula de Bram Stoker.

Aqui vai um vídeo do canal MsMojo com um compilado de suas brilhantes atuações:

 

2. Rainha freak toda poderosa

Winona sambou nos rótulos estereotipados desde adolescente. Seus papéis são curiosamente nerds, freaks e undergrounds. Vamos lá: ela estrelou dois filmes do Tim Burton e dublou a animação “Frankenweenie”, está em Alien: Resurrection, atuou num clipe darks bizarro do The Killers, já fez filme de vampiro e agora está aí arrasani como a mãe do Will em Stranger Things.

 

3. É um dos maiores ícones de estilo da Geração X

Winona é, sem dúvidas, uma das jovens mais estilosas dos anos 80 e 90. Ela ia contra a maré Hollywoodiana de precisar estar super bem vestida e maquiada. Ela usava seus cabelos pretos e curtos bagunçados com pouca maquiagem – às vezes apenas um batom vermelho. Seu estilo tomboy largadona gritava aos quatro ventos de que ela não se importava com nada. Vamos apreciar alguns looks maravilhosos dessa mulher, por favor:

Mom jeans, camiseta do Tom Waits e jaqueta de couro. Clássico grunge roqueirinha de 1991. Mas outro look clássico da nossa Wino também mostra seu lado mais tomboy: os terninhos. Paletós às vezes ajustados e às vezes largões que, enfim, faziam todo um efeito boyfriend que combinava demais com seu estilo.

Gente, e essa bandana?

Também tem a clássica jaqueta de couro.

Transparência, veludo… mas tudo em tons escuros. Preto quase sempre.

Na verdade, Winona se firmou como ícone de estilo quando adotou o cabelo pixie em 1993, que fez com que as pessoas associaram a elegância e o despojado do corte com Audrey Hepburn. Por muitos anos essa foi sua assinatura, junto com toda a sua atitude “cute, but not impressed”.

 

4. Uma atriz de beleza não-convencional

Antes de deslanchar em sua carreira de atriz, Winona Ryder teve sua aparência questionada. “Eu estava em uma audição, no meio de uma frase, quando a diretora de elenco me interrompeu e disse: ‘Hey, me escute. Você não deveria ser atriz. Você não é bonita o suficiente. Você deveria voltar de onde você veio e ir para a escola. Você não tem o necessário’. Ela foi muito contundente – ela devia estar pensando que ela estava me fazendo um favor. Eu tinha cerca de 15 ou 16. Mas é engraçado – e isso é um testemunho da forma que meus pais me criaram – porque eu não me senti ofendida. Eles sempre me estimularam mostrando que é muito mais cool ser um indivíduo único e autêntico que você não vai nem querer se misturar”. Seu papel como a protagonista Veronica em Heathers foi conquistado depois de um duro trabalho de convencer a direção de elenco de que ela poderia sim, interpretar a personagem – segundo ela mesma, eles pareciam buscar uma beleza Jennifer Connelly.

O DJ Boring fez uma música com um sample de uma entrevista com Winona em que ela conta essa situação:

Claro que, depois do seu sucesso, Winona já era vista como a “girl next door” que arrancava suspiros com seu rosto pequeno e olhos grandes. Mas foi um longo caminho para que a garota excêntrica tivesse sua beleza celebrada.

 

5. Seu cultuado relacionamento com Johnny Depp

Muito antes do Johnny Depp (mostrar) ser esse cara escroto e abusivo, ele e Winona protagonizaram um dos relacionamentos mais amados em Hollywood. Os dois se conheceram na premiere do filme Great Balls of Fire! e depois foram apresentados pelo amigo Josh Richman. Depp foi o primeiro de tudo para Winona: primeiro beijo de verdade, primeiro namorado, primeira transa, primeiro noivo. Ela tinha apenas 17 anos – já Johnny Depp tinha 26 anos e estava divorciado desde os 22. Então essa relação a mudou completamente, por muitos sentidos. Não somente por ele ter uma importância ímpar em sua vida, mas porque a imprensa fez da vida deles um inferno. O casal excêntrico, de filmes curiosos, de uma beleza não-convencional para a época, que se vestiam de forma parecida, que viviam fazendo declarações públicas do seu amor. É para ficar obcecada!

 

6. Curiosidades que a fazem ainda mais cool

Além da excentricidade toda da sua carreira, Winona Ryder tem todo um histórico curioso. Ela é afilhada do entusiasta do LSD Timothy Leary e cresceu em uma comunidade hippie. Ela foi batizada em homenagem à Winona, Minnesota — sua cidade natal, que também é nome de uma deusa do povo Dakota que preferiu morrer a se casar com um homem que não amava. Nasceu dia 29 de outubro de 1971. Sua mãe e amigos próximos a chamam de Noni (que também pode ser entendido como “no knee”, ou seja, “sem joelhos”). Ela já foi babá dos filhos do Tom Waits. Seu livro favorito é “O Apanhador no Campo de Centeio”, de J.D. Salinger – ela por muito tempo andou pra lá e pra cá levando consigo uma cópia do livro, e afirma já ter lido mais de 50 vezes. A maioria dos seus filmes não foram um sucesso de bilheteria, mas foram muito aclamadas pela crítica e se tornaram fenômeno cult. Aos 12 anos, ela quase morreu afogada, gerando nela um trauma imenso de água. Em 2001, ela foi presa depois de roubar cerca de US$ 5,5 mil em artigos na Saks Fifth Avenue, levando a um hiatus em sua carreira. Ela já atuou num clipe do Jon Spencer Blues Explosion. É amiga e queridinha de Marc Jacobs. Ela não tem redes sociais e afirma nunca ter lido um blog na vidaela pensava que Snapchat era uma espécie de salgadinho.

 

5. Pra ela, saúde mental é coisa séria

Winona falou sobre problemas da sua saúde mental desde 1999, quando abriu sobre sua depressão pela primeira vez em uma entrevista para a jornalista norte-americana Diane Sawyer. Ela disse à entrevistadora que sentiu vergonha de ter tido depressão em meio à fama e vida de privilégios. Ao produzir e estrelar Garota, Interrompida, a atriz acabou ficando ainda mais estigmatizada, sendo que ela queria mesmo era mostrar com o filme que os problemas vividos pelas personagens podem acontecer com qualquer pessoa. No início dos anos 2000, somado ao caso de roubo na Saks, Winona teve sua imagem negativada.

Seus filmes e personagens somam muito a essa temática, desde Lydia Deetz de Beetlejuice ao drama gótico de Edward Mãos de Tesoura. E claro, a Joyce de Stranger Things é uma personagem que sofre de ansiedade, mas não por isso é frágil ou maluca. Ela diz em entrevista à revista New York: “Tem uma parte no roteiro onde alguém diz [sobre sua personagem Joyce] ‘ela teve problemas de ansiedade no passado’. Muitas pessoas olham pra isso como ‘ah, tá vendo, ela é louca’, mas eu já digo ‘Pera lá, ela está lutando: tem dois filhos de um pai ausente e vagabundo, trabalha duro pra pagar as contas… Quem não seria ansioso?”

E ela ainda se revolta de como as mulheres são vistas pela sociedade: “Estou tão cansada das pessoas diminuirem as mulheres por serem sensíveis ou vulneráveis. É tão bizarro para mim… Eu tenho essas qualidades, e eu simplesmente não acho que haja algo de errado com quem seja assim. Houve momentos em que eu me senti muito sobrecarregada por isso, quase que envergonhada, mas tive que superar”.

 

Te amamos, Winona!

Winona é uma doidinha completamente adorável que nós amamos e vamos continuar obcecadas, eternamente. Separamos alguns links maravilhosos para ler mais sobre essa linda:

 

Mais de Nina Grando

♪ City Pop Girls ♪

A era de ouro do Japão
Leia mais