As mulheres da música 100% Feminista

Na quinta passada a MC Carol e a Karol Conka lançaram o single “100% Feminista”  e desde então essa é a única coisa que eu consigo escutar. Quando ouvi a música pela primeira vez, escorreu uma mini-lágrima. Sério. E eu tava no metrô. Escutar duas mulheres negras cantarem sobre como a luta feminista é importante pra nós foi demais. (Especialmente pro meu coraçãozinho aguentar enquanto eu fazia a baldeação da Linha Amarela).

A MC Carol e a Karol Conka têm produzido tanta música foda e do bem que eu nem sei <3 A MC Carol já fez funk pra denunciar a violência policial e racista. A Karol Conka também só acerta toda hora. E “100% Feminista” foi mais uma coisa maravilhosa que essas duas fizeram.

E um dos elementos que torna essa música mais-que-incrível é que nela a Carol e a Karol (hihihi) fazem alusão a muitas mulheres fodas. Então resolvi fazer uma listinha pra vocês conhecerem um pouco mais sobre essas mulheres.
 


 

Aqualtune

A Aqualtune foi uma “princesa-guerreira, um dos maiores símbolos de resistência e luta pela liberdade negra, mãe de um dos maiores líderes pela luta da liberdade negra, e avó de talvez o maior dos líderes da luta contra a escravidão [Zumbi dos Palmares]”. E dá pra saber muito mais nesse texto do Blogueiras Negras.

 

Carolina

Carolina Maria de Jesus foi uma das primeiras e mais importantes escritoras negras brasileiras. Ela nasceu no interior de Minas Gerais e se mudou para São Paulo quando sua mãe morreu. Em São Paulo, Carolina construiu sua própria casa, usando madeira, lata, papelão e qualquer coisa que pudesse encontrar. Ela começou a escrever sobre sua vida na favela, e documentou seu cotidiano em diversos cadernos. Um desses diários resultou no livro “Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada”, publicado em 1960. Esse livro deveria ser lido por todo mundo. Sério. Leiam.

 

Dandara

A luta do povo negro no Brasil é frequentemente apagada, especialmente a luta das mulheres negras. E a Dandara dos Palmares é um exemplo disso. Pouca gente conhece a história dessa guerreira, apesar de muita gente conhecer em certa medida a trajetória do seu marido, Zumbi dos Palmares. Dandara foi esposa de Zumbi e, como ele, também lutou com armas pela libertação total das negras e negros no Brasil. Nesse texto da Jarid Arraes, ela conta como o machismo é causa pela qual Dandara não é reconhecida ou sequer estudada nas escolas. Ah, a Jarid também fez um cordel biográfico contando a história da Dandara! Vejam aqui.

 

Chica da Silva

Flávia Ribeiro escreveu sobre Chica aqui: “Francisca nasceu pobre e escrava. Conseguiu a liberdade após viver em concubinato com um homem branco. Ficou rica e conquistou um espaço na sociedade. Isso não era lá algo incomum no Brasil do século 18. Nossa Francisca talvez não fosse citada sequer uma vez em livros se não tivesse se envolvido com um dos homens mais ricos do país na época. Depois de seu relacionamento com o contratador de diamantes João Fernandes de Oliveira, ela virou Chica da Silva. E Chica da Silva se transformou em um mito. Como ocorre com todos eles, muito foi dito – grande parte, porém, não era verdade ou não tem qualquer comprovação histórica. Ganhou diversos livros, filme no cinema e novela na extinta TV Manchete. Entre outras coisas, Chica foi descrita como perdulária, devoradora de homens, bruxa.” 

 

Nina

Nina Simone foi uma cantora, pianista, compositora e ativista estadunidense. Mas descrevê-la só com essas palavras é quase que irresponsável. A real é que ela foi uma das artistas mais extraordinárias do século 20. Se você ainda não conhece o trabalho dela, sugiro separar os próximos dias da sua vida pra fazer isso. O documentário “What happened, Miss Simone?”, da Netflix, pode ser um jeito de começar.

 

Elza

Elza Soares é uma das maiores e mais incríveis cantoras e compositoras brasileiras. No ano passado, aos 78 anos anos, ela lançou o álbum “A Mulher do Fim do Mundo” (que foi o seu trigésimo-quarto álbum, só pra constar), que trouxe temas como violência doméstica, sofrimento urbano, transexualidade e negritude.

 

Zeferina

Zeferina foi uma rainha quilombola em Salvador, e assim como Dandara dos Palmares, teve uma atuação fortíssima na luta contra a escravidão no Brasil. Ela fundou o Quilombo do Urubu, que é descrito como “uma sociabilidade baseada em modelos civilizatórios africanos para se proteger e salvaguardar todo o seu povo da escravidão”. Ela era uma super liderança que organizou diversas pessoas pela libertação de todos os negros na província do Salvador. Ela ganhou diversas batalhas contra os portugueses.

 

Frida

A Frida Kahlo foi uma pintora mexicana surrealista e feminista que se tornou bem conhecida por seus auto-retratos. Tem muito a ser dito sobre Frida, né? Acredito que muitas de vocês já estão familiarizadas com o trabalho dela, mas pra quem não está, deixo indicada essa biografia ótima e esse documentário:

 


 
E pra finalizar deixo uma entrevista com a Carol e a Karol <3

Mais de Bárbara Paes

Zoe Saldana não é a melhor Nina Simone

Acho importante começar esse texto afirmando que eu gosto muito da Zoe...
Leia mais