Guia Ovelha para não ser gordofóbica

Ilustração feita com exclusividade por Fernanda Ozilak
"Olha lá a gorda fazendo gordice"

Estamos num tempo em que dizem que magreza é sinônimo de beleza, e “ai” de quem não se encaixar nesse padrão. A mídia toda nos bombardeia com essa mensagem desde muito cedo.

Às vezes isso não é feito de maneira direta, mas quando a gente não se vê representada somos levados a crer que não estamos no padrão dito “certo” imposto.

Com isso tudo há em volta a pessoa gorda uma repulsa pela sociedade, e isso pode se manifestar através de expressões que são usadas no dia-a-dia que são extremamente gordofóbicas. As pessoas gordas podem se sentir incomodadas com a família/amigos/conhecidos/desconhecidos usando esse tipo de expressão.

Então tendo isso em vista, criamos um guia para que você não reproduza esses termos gordofóbicos ao se referir a uma pessoa gorda! Bora aprender?


 

É gordofobia quando a gente diz...

 

Bonita de rosto

Quando você “elogia” alguém dessa forma, o que você realmente está dizendo é que a única parte bonita do corpo da outra pessoa é o rosto, dizendo sem realmente dizer que o corpo dela não é bonito. Mesmo que você não fale com essa intenção, apenas pare!
 

Gordice

Taí uma expressão que meu sangue ferve só de ler ou ouvir. Essa expressão é usada para caracterizar as guloseimas/sobremesas/fast food que a pessoa está comendo. É muito comum ver “gordice” em redes sociais ao tirar uma foto de alguma comida delícia, como se a pessoa estivesse “consciente” de que aquilo é coisa que só gordo faz/come. Isso é super reducionista, por vários motivos:

1. Comer “besteira” não é exclusividade do gordo, todos comem;

2. Nisso há a simplificação da existência da pessoa gorda aos seus supostos hábitos alimentares “errados” desconsiderando o seu contexto. TODO MUNDO come besteira, e ninguém precisa se sentir culpado por isso.
 

Cabeça de gordo

Essa é uma expressão controversa, uma vez que alguns gordos a usam. No entanto, ela não deixa de ser perjorativa, já que, mais uma vez, está dizendo que somente o gordo come “besteiras” ou alimentos em excesso em determinado contexto. Para mim, dizer isso é presumir que TODA PESSOA GORDA pensa da mesma forma, tem as mesmas características E hábitos alimentares. Simplesmente não! Cada pessoa tem sua própria cabeça, pensa diferente e é única. O mesmo se aplica pros gordos, afinal, somos pessoas também.
 

Peso ideal

Ao dizer isso você está dizendo que a pessoa pesa mais do que devia, e que ela deve emagrecer até seu peso dito ideal. O que é ideal? O peso ideal de uma pessoa é baseado no quê? Você acha que existe uma meta universal que todos devem seguir. Aí vem alguém e diz:

“É baseado no IMC”… gente, sério, você realmente acredita que há uma categoria de peso que se adequa a um monte de pessoas, que tem distribuições de músculo diferentes, ossos diferentes vão se encaixar numa mesma “meta”? Não, né, obviamente. Cabe a própria pessoa decidir o que funciona ou não para ela.
 

“Ele me trocou por aquela gorda”

Zzzzzz… quem nunca ouviu uma mulher dizer isso? Que leva isso pro lado pessoal e não se conforma por ter perdido o parceiro por alguém “inferior” a ela. Por que uma mina seria considerada inferior a você só por ser mais gorda? A palavra “gorda” não deve ter usada como um xingamento ou uma característica perjorativa, ela apenas descreve a condição física de alguém. E isso, de forma alguma, a torna inferior às pessoas magras.
 

Fofinha / cheinha / acima do peso

Mais uma vez, a palavra “gorda” sendo entendida como um termo perjorativo, faz com que as pessoas procurem palavras suaves (eufemismos) para se referirem a pessoas gordas para evitar seu uso – que elas presumem que a pessoa vá se sentir mal ao ouvir. “Gorda” não deve ser visto como algo negativo – embora aprendamos isso desde cedo, precisamos virar o jogo e tirar esse estigma do nosso vocabulário, assim conseguindo tornar desnecessário o uso de eufemismos.
 

“Nossa, como tô gorda!”

Já ouvi isso tantas vezes que nem sei mais quantas foram. Já ouvi de estranhas, de amigas, até mesmo de parentes. Muitas vezes a pessoa que fala sequer é gorda, e ela dizer isso perto de uma que realmente é pode fazer com que a última se sinta mal por não ser magra, por ser algo que é considerado ruim. Não seja essa pessoa que faz os outros se sentirem mal por ser o que são!
 


 
Existem mais expressões que tratam as pessoas gordas de forma ruim, cabe a nós prestar atenção no que escolhemos dizer para não machucar os outros! <3
 

Ilustração feita com exclusividade por Fernanda Ozilak.
 

Escrito por
Mais de Fernanda Ozilak

Guia Ovelha para não ser gordofóbica

"Olha lá a gorda fazendo gordice"
Leia mais
  • Deborah Moreira

    E casais, amigas e amigos magros que decidem usar “gordo” ou “gorda” como apelidinho carinhoso?

    • Oi Deb (quanto tempo, saudades)! Então, vou colocar meu ponto-de-vista como pessoa magra que chama a irmã de gordinha / fatty e que é também chamada assim por ela (que é também magra). Esse apelido não surgiu como uma forma pejorativa, para acusar nosso tipo físico. Foi porque um dia, na infância, estávamos as duas sentadas uma pra outra dizendo: “você é uma fofa!”, “não, você que é!” e aí falamos que a outra era tão fofa e querida que era “gorda”. Gorda, porque na nossa cabeça não era algo que diminuía alguém, era sim uma característica de uma pessoa “grande”. E na nossa imaginação, chamar a outra de “gorda” era dizer que ela era cheia de amor. Usamos isso até hoje mas, quando uma pessoa magra nos escuta, já diz: “NOSSA, QUE HORROR, SUA IRMÃ É MAGRA!” – e aí eu explico que, primeiro, ser gorda não é “um horror”, é uma característica física assim como ser magra. E que depois, que tem outro contexto. De fato, cuidamos para usar esse apelido apenas entre nós, irmãs e quem conhece a história por trás. Porque quem escuta do nada pode pensar que sim, é um apelido que carrega um passado de brincadeiras cruéis entre irmãs de diminuir o corpo da outra. Os apelidos íntimos entre casais e irmãs falam muito do íntimo deles e pode ser bem estranho e até incômodo ouvir alguns deles. Acho que vale perguntar de onde vem o apelido, no caso de soar estranho ou constrangedor para quem ouve.

  • Graziele

    Excelente!!!! Obrigada!