O que a internet falou sobre o 8 de março

Colagem digital por Fernanda Garcia (Kissy)
Não nos calamos! Nem uma a menos!

Organizações feministas convocaram uma greve internacional das mulheres para o 8 de março, o famoso “Dia Internacional da Mulher”. Essa paralisação aconteceu em pelo menos quarenta países.

Queremos: direitos iguais aos dos homens. Queremos: liberdade para andar nas ruas e decidir sobre nosso corpo.

Separamos alguns links que trazem relevância para o nosso debate nessa data:


 

A ESTÁTUA QUE DEVERIA FICAR

Escultura “The Fearless Girl”, Kristen Visbal – Foto: Federica Valabrega

Uma empresa de Wall Street, em uma ação de marketing, colocou uma estátua de uma garotinha em frente ao touro de bronze. Um dos maiores símbolos do capitalismo agora é encarado pela força das mulheres.


DIA SEM MULHERES

Quartz: “Day Without a Woman” strike is going to be mostly a day without privileged women – texto de Maureen Shaw analisa que a proposta da greve não inclui todas as mulheres, já que muitas não podem apenas não aparecer no trabalho.

i-D Vice: What international women’s day means from a POC (people of color) perspective – Três mulheres, indiana, africana e chinesa, falam o que significa o dia 8 de março para elas.

New York Times: “There’s no such thing as a privileged strike” – diz a co-fundadora da Women’s March, Tamika Mallory, sobre a greve não ser só para as privilegiadas. Veja o vídeo:


RUIDAZO

Huffington Post Brasil: Fundadora do ‘Ni Una Menos’ sobre feminismo: ‘O que mexe com estruturas leva tempo e provoca reações’.

“As pessoas têm medo do novo e o que estamos propondo é uma mudança numa estrutura que sempre foi patriarcal. Na Argentina, chama a atenção a brutalidade de alguns desses crimes contra as mulheres. É como se os homens sentissem a necessidade de usar mais violência para mostrar que ainda podem domesticar as mulheres. Mas nenhuma mudança cultural é feita de um dia para outro”, diz Marta Dillon.

LATINCONTENT/GETTY IMAGES

O QUE QUEREMOS

Nexo: O que querem os movimentos feministas que ocuparam as ruas do Brasil – Em entrevista ao ‘Nexo’, 7 integrantes de coletivos e entidades explicam suas demandas e iniciativas contra a desigualdade de gênero.

Carta Capital: Quem são as mulheres do 8 de março – As manifestantes da Marcha das Mulheres de São Paulo explicam os motivos que as levaram às ruas.


“A MULHER É UMA PIADA”

A Jessica, do Canal das Bee e do Gorda de Boa, pesquisou o termo “piada mulher” no Google e fez um vídeo com o que achou:


ALEKSANDRA KOLLONTAI

A editora Boitempo publicou uma antologia de feministas soviéticas: A revolução das mulheres: emancipação feminina na Rússia soviética, organizado por Graziela Schneider. Leia um trecho.

Aliás, a Boitempo lançou um vídeo em seu canal do YouTube com a socióloga Maria Lygia Quartim de Moraes, falando sobre as origens comunistas e socialistas do Dia Internacional da Mulher. Ela reflete sobre como a historiografia hegemônica buscou apagar e falsear o elo entre o feminismo e o socialismo nas origens do 8 de março, defendendo uma retomada radicalidade da data como um dia da luta. Assista abaixo:


FATOS

 

 

 


Encontrou mais algum link sensacional que não colocamos aqui no post? Então compartilhe nos comentários! ;)

Mais de Letícia Mendes

#Girlboss ganhará série no Netflix

#Girlboss, segundo a própria autora Sophia Amoruso, é uma plataforma para inspirar...
Leia mais