Autoestima delirante: uma brincadeira do amor

Ilustração feita com exclusividade por Malu Risi
Muito melhor que "verdade ou desafio", vai por mim

Sabe aqueles dias em que a gente tá na bad, ou simplesmente sem muita vontade de viver? Calma! Fica calma. É possível transformar um dia cinza (Dória ®) em um dia especial com uma rodada de AUTOESTIMA DELIRANTE. A ideia dessa brincadeira é estimular a autoestima delirante que há em cada umx de nós.

Com as redes sociais, estamos constantemente nos comparando e nos diminuindo emrelação aos outros – mesmo que de maneira insconsciente. “Eu podia estar saindo mais, podia estar mais magra, podia estar mais feliz, podia estar mais serena, podia estar comendo nesses lugares incríveis…”. Enfim, é muito fácil se deixar consumir pelas cobranças que nós mesmas nos colocamos, e assim também é fácil a gente se aceitar e lembrar das coisas boas que fazem parte de nós. Essa brincadeira fala sobre como ter uma postura positiva, ficar satisfeita – ou pelo menos tentar – consigo mesma, se sentir bem em relação ao próprio corpo, às capacidades e ter respeito próprio.

No reveillón de 2015 para 2016, eu viajei com um grupo de amigos para Praia Vermelha, em Ubatuba (SP). Por um milagre do destino, conseguimos juntar um grupo muito próximo e agregar mil pessoas incríveis – mentira, eram só umas 16. rs. Enfim, nessa viagem cósmica, nós criamos uma brincadeira linda. Estávamos sentados na varanda em uma mesa redonda quando nossa amiga Nani chegou para falar qualquer coisa e alguém a elogiou. Outra pessoa também fez um elogio e ela – cheia de embaraço bem humorado – brincou que ia sair e voltar de novo pra receber mais elogios. Resolvemos que ela não precisava sair e voltar, bastava a roda de elogios seguir.

Cada uma das pessoas ali fez um elogio real e sincero sobre ela. E isso foi lindo. Não era rasgação de seda, era chuva de confete gratuita. Mesmo quem não a conhecia tão bem, disse, por exemplo, o que tinha achado bacana nela logo que a conheceu. E isso também foi muito especial. Tudo que a pessoa elogiada precisa fazer é aceitar os elogios, o que também pode ser bem difícil. Ninguém está habituado a isso. Tenho uma amiga que sempre que elogio a roupa dela, por exemplo, ela brinca dizendo que foi super barata. Me parece um artifício inconsciente de tirá-la do foco e já emendar em uma conversa sobre pechinchas e moda e como tá tudo cara nesse Brasil. Não caio. Digo apenas “ô the monia, aceita o elogio, caramba”. Ela ri e fala “tem razão. Obrigada”.

E um dos aspectos mais legais da brincadeira é justamente isso, ajudar as pessoas a aprenderem a aceitar elogio. Pedi para algumas amigas que participaram me contarem o que sentiram durante e depois da auto-estima delirante.

“Eu lembro da sensação de olhar pras pessoas que eu não conhecia ali e me desafiar a dizer algo bom sobre elas pra ajudar a quebrar o gelo e a gente se entrosar melhor. Mais do que ouvir os elogios, pra mim foi mais legal o ato de elogiar, ter que olhar nos olhos da pessoa e dizer algo verdadeiro e positivo sobre ela, que tivesse me tocado de alguma forma. Todo mundo saiu dali movido, foi uma maneira incrível de começar a viagem.” – Nina Grando, ovelha-mãe

“Ela faz as pessoas enxergarem coisas boas em si mesmas. Coisas que, às vezes, ela não sabia que os outros viam.” – Luiza Paschoalick, redatora

“A gente se sente livre e tranquilo para elogiar os outros também. Quando você vê alguém elogiando ou contando uma história sobre alguma coisa positiva que um amigo fez pelo outro, sente vontade de compartilhar também. É tipo um efeito manada de positividade. Além de que ouvir as coisas positivas que você fez por alguém ou características que os outros acham louváveis em vc é sensacional. É só encarar o lance de ser elogiado. Saber ouvir quietinha as coisas incríveis que os outros tem para falar de você, também é uma doidera.” – Julia Rodrigues, fotógrafa

“É muito foda quando as pessoas todas concordam com uma característica massa sua que você talvez nem considerasse ser tão forte.” – Bee Grandinetti, animadora

“Eu gostei porque quando terminou tava todo mundo no maior nível de felicidade conjunta e plena. E todos leves!” – Nani Rodrigues, videomaker e o estopim da auto-estima delirante
 


 

Como jogar

Uma brincadeira que vai encher a sala de amor e deixar
todo mundo com uma Autoestima Delirante
 

  1. Junte um grupo de amigos queridos e agregados
  2.  

     
     

  3. Escolha uma pessoa para ser a primeira a ser elogiada. Se o povo tiver sem graça, pode girar uma garrafa pra escolher a primeira pessoa. A bunda da garrafa elogia e a boca aponta pra pessoa a ser elogiada.
  4.  

     
     

  5. Os elogios podem ser simples do tipo “você é muito linda ou adoro o seu senso de humor”, mas também pode conter pequenos relatos: “Adorei quando teve um dia em que eu tava triste e você me ligou e me chamou pra tomar um sorvete e foi uma companhia leve e atenciosa, me fez muito bem, obrigada”. Não tem regra. Elogia do jeito que seu coração mandar. Mas seja sincero, não vale ser poliana nem rasgar seda. Tem que ser de verdade.
  6.  


     
     

  7. A primeira pessoa escolhida deve ser elogiada por todos os participantes da roda. É só seguir a ordem. Isso é bom porque tem gente que às vezes não sabe direito elogiar alguém e tenta fugir, mas o legal da brincadeira é justamente todo mundo falar. Receber elogio é difícil, mas para algumas pessoas elogiar também pode ser. Mas eu também gosto de deixar que elogios espontâneos aconteçam. Alguém que já elogiou, se quiser, pode elogiar ou contar outro relato a qualquer momento.
  8.  

     
     

  9. A brincadeira termina quando todos os participantes tiverem passado por uma rodada de elogios.
  10.  

 
 

E aí? Curtiu a ideia? Depois de brincar, conta aqui nos comentários como foi! ;)

 

 

Mais de Anna Crô

Filha destrói pai no beatbox

Nicole Paris aprendeu com o pai a fazer beatbox, essa arte maravilhosa...
Leia mais