Belle de Jour (não é sobre o filme)

Auto-retrato da fotógrafa Julia Rodrigues

Este post é para apresentar o novo projeto “Belle de Jour“, que a fotógrafa Julia Rodrigues idealizou para a Ovelha. Desses encontros maravilhosos da vida que a gente tá muito feliz de trazer para vocês. O nome do projeto é livremente emprestado do filme do Luis Buñuel e estrelado pela Catherine Deneuve, uma singela dona de casa que decide passar as tardes fazendo algo diferente. (Ia ser Bela da Ju, mas a gente achou cafona e também tem o fato de ninguém ser dela, como vocês vão entender mais abaixo). No caso do projeto, a ideia é trazer a cada mês um ensaio com uma anônima, acompanhado de um texto escrito pela fotografada. Uma pessoa que por algum motivo deixou a Julia curiosa, com vontade de fotografar. Leia abaixo um trecho do papo que a gente teve com ela para entender um pouco melhor o que é esse projeto.

 

Ovelha – Como surgiu a ideia do projeto?

JuliaSempre que tenho uma ideia para um ensaio de trabalho, chamo alguma amiga para testar luz. Mas aconteceu algo engraçado. Esses testes, sem produção nem nada, começaram a resultar em fotos super legais. Amigas que muitas vezes nunca tinham posado profissionalmente estavam arrasando nas fotos. Comecei a pensar o quanto seria legar criar ensaios para essas meninas de acordo com a personalidade delas.
 

Por que mulheres e não homens?

Acho que é questão de gosto. Eu me sinto muito mais a vontade em dirigir mulheres. Gosto de descobrir a delicadeza, a força de cada uma e trabalhar isso. Também gosto de pensar que essa coleção de personagens que eu vou encontrando em cada uma delas também podem ser pequenas facetas da minha identidade. Eu gostaria, talvez, de ser mais segura ou delicada ou misteriosa ou badass, meio do jeito que eu fotografo essas mulheres.
 

Por que anônimas?

Porque de foto de celebridade o mundo já ta cheio, né? Tem tanta gente interessante dando sopa por aí…

 

Julia realmente fotografa mulheres anônimas interessantíssimas, como Luna e Judith.
Julia fotografa mulheres anônimas interessantíssimas, como Luna e Judith
 

Fala um pouco da sua relação com retratos.
O que você gosta nesse tipo de foto?

É uma relação muito doida essa entre a fotógrafo e a personagem – acho que fui ficando meio viciada nela. É um momento meio tenso. Eu como fotógrafa tenho que convencer uma pessoa a se sentir confortável na minha presença, aceitar minha direção, não travar e ser o mais natural possível. Eu sempre fico nervosa antes de fazer um retrato. Mas parece que baixa algum espírito doido e na hora do clique eu fico calma e segura.

 

Julia Rodrigues já fotografou Fernando Haddad
Julia Rodrigues já fotografou Fernando Haddad
 

Não acredito. Me conta uma vez que você ficou nervosa.

Haha. Ok. Fiquei bem nervosa quando fui fazer um retrato da Adèle Exarchopoulos [atriz do filme Azul é a Cor Mais Quente], porque não falava a língua dela e tinha 5 minutos pra fazer a foto. Também fiquei tensa com o Luís Fernando Veríssimo. Me disseram que ele é super tímido e que odeia tirar foto – a pior coisa que se pode falar para um fotógrafo antes de um retrato. Mas, de vez em quando rola uma sintonia boa e é meio que mágico. Me comunico com uma pessoa que eu provavelmente nunca vi antes por olhares, movimento de mãos e frases curtas. Quando a foto acaba essa ligação se dissipa quase que instantaneamente. O resultado disso tudo é um retrato, daquele exato momento de compreensão mútua. E ele existe pra sempre. Sei lá, foto é foda (rs).

 

Julia Rodrigues fotografou em 2013 a atriz Adele Exarchopoulos
Retrato da atriz Adele Exarchopoulos por Julia Rodrigues
 
Julia Rodrigues fotografou Luis Fernando Verissimo, para a a Azul Magazine
Julia Rodrigues fotografou Luis Fernando Verissimo, para a a Azul Magazine
 

O que espera alcançar com esse projeto?

Não sei se é o caso de alcançar alguma coisa, acho que é mais pelo processo mesmo. Chamar uma mulher “comum”, pedir pra ela contar a sua historia pessoal, ou inventar alguma história qualquer e tentar tirar daí uma essência e criar com ela uma série de retratos. Para mim, o interessante é conseguir fazer isso de um jeito satisfatório. Não só pela plástica das imagens, mas pelo desafio de fazê-las e as dar de presente pra essa pessoa que me deixou curiosa por algum motivo. Pela ideia que me passou dela mesma, seja ela uma uma personagem fictícia ou não. Acho que é um jeito de empoderar essas meninas e mulheres incríveis com quem a gente tá sempre topando por aí. Mostrar que todo mundo é sensacional… #

 

Siga a Julia Rodrigues! Todo o mês teremos uma Belle de Jour inspiradora retratada pela fotógrafa, então fique de olho nas novidades da Ovelha (;

Site / Tumblr / Facebook / Instagram

Mais de Anna Crô

Aplicativo viciante #2: Periscope

Esse app é a nova empreitada do Twitter. Com ele, você transmite...
Leia mais
  • Estou muuuuuito animada com esse projeto!