Ouça: Framboesas Radioativas

Uma explosão punk rock que dá vontade de dançar até umas horas. As músicas das Framboesas Radioativas, de Bragança Paulista, são assim. O power trio, formado por Marina Tasca (baixo e voz), Marina Salles (guitarra e voz) e Amanda Baratella (bateria e voz), é uma super referência de banda independente formada por garotas.

 

 
Gastropoda é o último EP da banda que foi gravado em São Paulo por Chuck Hipolitho (da banda Vespas Mandarinas). Lançado em abril de 2015, ele conta com 5 músicas muito bem executadas. É deste EP a dançante e divertida “D. Pedro”, a trilha ideal pra ficar chacoalhando a cabeça com as suas amigas. As canções são cheias de espontaneidade e riffs grudentos, nesta linha são “I.D.K” e “Elizabete”. E a única coisa ruim do EP é o fato dele terminar rápido demais.

Quando elas tocaram em Volta Redonda (RJ), no evento do Coletivo Tiamät, tive oportunidade de vê-las, e a sintonia delas tocando é incrível. É possível sentir a troca de energia, a amizade e vontade de estarem juntas. Além de Gastropoda, elas lançaram também o EP Breathless, em maio de 2014. Aquela característica mais cru e raw do punk está mais presente nesta gravação, que também é ótima. Destaque para a ótima “Kill Bill”, aquele hit pra dançar demais.

 

Framboesas Radioativas. Foto por Karina Lumina
Framboesas Radioativas. Foto por Karina Lumina
 
É inegável a boa influência da tradição punk de Bragança Paulista e do Leptospirose nas Framboesas. Não por acaso, pois elas estudaram na Jardim Elétrico, uma escola de música administrada por roqueiros. Além dos EPs, elas também lançaram alguns zines, que você pode encontrar no show delas.

Se interessou? Este é o bandcamp e fanpage.

 

Tags relacionadas
,
Mais de Carla Duarte

Ouça: Framboesas Radioativas

Uma explosão punk rock que dá vontade de dançar até umas horas....
Leia mais