Rainha da Su Casa: Velozes e Furiosos (fail)

Não-blog sobre viver no exterior

O Rainha da Su Casa é uma série de posts sobre a experiência de ir morar no extreior com cachorro, gato, namorado e tudo mais. Clique aqui para ler os posts anteriores.

 

Para quem acompanhou a saga da saída do Brasil para a Espanha e todo o rolê que foi para viajar com minhas mascotas, agora vem a parte 3!

Opa, dois meses se passaram. Te dizer que foram meses muito intensos apesar da narrativa ainda estar na pacata vila (do chaves) de Presillas Bajas. Pois sim, vou continuar de onde paramos e aí a história vai encontrar a realidade em algum lugar do tempo-espaço, afinal, tempo é relativo, né não?

Estávamos eu e Ivan então buscando um carro barato pra poder sobreviver o inverno (the winter was already there e os John Snow não sabendo nada). Com o pouco de internet que tínhamos no nosso 3g – que pegava perto da montanha -, achamos um site que se assemelhava ao Craigs List, uma parada meio Mercado Livre mas sem muita credibilidade. Aquele medo de roubarem o rim ou qualquer coisa que se assemelhasse a isso. Mas eram ali onde se encontravam os carros mais baratos, fazer o quê?

Pois bem, era janeiro e tínhamos que ir à cidade fazer nosso documento de residentes. Tínhamos um visto no passaporte e ele tinha que ser validado na extrangería (nome do departamento que cuida das burocracias dos estrangeiros). Resolvemos então alugar um carro por uma semana pra poder fazer quatro importantíssimas coisas: supermercado giga, levar o Madiba pra renovar a vacina de raiva, procurar um carro e ir na extrangeria.

 

IMG_3381
vai aqui uma foto aleatória pra dar um respiro no texto, hihi
 
Com o carro em mãos, levamos o Madiba ao veterinário, ele foi vacinado contra raiva, tudo certo. Queríamos vacinar ele também contra Leishimaniosis que aqui na Espanha tem surto. Em Almería, que é a maior cidade perto de onde morávamos, 3 de 4 cachorros tinham a doença e ela passa pra humanos. Vou deixar o link aqui caso queiram saber mais. Mas infelizmente, ele só poderia começar o tratamento, passados 30 dias da vacina de raiva em seu sistema, então fomos pra próxima burô a se resolver.

Próximo passo, procurar carro. Localizamos uns 3 carros diferentes e em distâncias diferentes para dar uma olhada. O primeiro carro estava a uns 100km, mas a gente uniu o útil ao agradável e fomos visitando os arredores. Chegamos na cidade de Huércal-Overa e o rapaz pediu pra que a gente esperasse ele num posto de gasolina, acho que o medo de perder o rim era mútuo. Enfim, o carro era baratinho, uns 700 euros mas era véio, todo cagado, batido, sem documentação ok, ia ser aquele rolê. Beeeeeeijo.

 
Screen Shot 2016-06-24 at 18.57.49
 
No dia seguinte, e agora eu até posso dizer que dia era porque aqui na Espanha comemora-se Dia de Reis, aqui it’s a thing, sei lá, nunca nem tinha ouvido falar, não que eu me lembre. No Brasil é mais conhecido como, o dia em que a galera desarma a árvore de Natal. Foi o que me disseram, hahaha. Aqui é feriado, fecham as ruas, tem parada, representação dos reis magos chegando pra presentear baby-j e tudo mais.

Fomos numa cidadezinha bem pequena e de proletários que trabalham nos invernadeiros (grandes estufas que plantam tomates e utilizam imigrantes para o trabalho porque é desumano) chamada Campohermoso. Bem pertim de casa, uns 25km. Chegando lá, crashamo na festa de família no dia de reis dos irmãos que queriam nos vender o carro. Era massa o carro, mas muito antigo, de 98, tava inteirão mas cara, era super duro pra dirigir, agradecemos a visita e fomos embora.

 

 

Fomos em um terceiro lugar ver carro. Era na própria cidade de Almería e a informação que a gente tinha era: tem um estacionamento perto do hospital Torrecárdenas (cara, tem palavra mais espanhola? fala isso com voz grossa, hahaha). Procuramos, perguntamos, achamos. Chegamos lá, olhamos os carros, anotamos uns números, ligamos, mas tinha um cara lá num mini conversível, tomando cerveja com o ~ brother ~ e cara, pra quem é do Rio de Janeiro, saca logo o esquema miliciano da parada, não tava bom o clima, fomos embora.

Então partimos para a terceira função com o carro, fomos na extrangeria. Chegando lá, aquele sentimento de repartição pública mal cuidada do caralho, senhas, apitos, pessoas com cara de que estão esperando há 2 horas. Sentimento único que pelo que entendi, não é só brasileiro que sofre de burocracia brabíssima. Fomos atendidos e disappointed but not surprised, falaram que a gente tinha que pagar um boleto aqui e depois marcar pela internet um agendamento para retirarmos nosso documento de estrangeiro. Na minha cabeça era, pô, vou aqui do lado no banco pagar a parada, entro na internet pelo celular e já marco pra agora mesmo.

 
disa
 
Uma salva palmas para: Bárbara, deixa de ser trouxa. Por favorzinho. Primeiro que a parada só fica aberta até 13:30, os bancos todos também fecham até 14h. Depois rola um intervalo de um buraco negro de 4 horas com absolutamente tudo fechado, se chama siesta. Maravilhoso pra quem trabalha, pra quem tem treta pra resolver, é difícil, viu. Difícil.

 

giphy
AHAAHAHAHHAHAHAHAHAHAHA FAMO!
 
Então sobrou pra gente fazer a quarta e última coisa com o carro: supermercado giga. Pelo spoiler da foto de capa, já podem imaginar qual foi o método de transporte que escolhemos e compramos no supermercado mesmo. Duas bicicletas lindas, hahaha.

 

IMG_3415
Madiba adorou o meio de transporte, haha <3
 
Voltamos pra casa felizes com nossas escolhas. Prometo escrever semanalmente a partir de agora. Já estamos em Madrid, desculpem o spoiler! Ainda tem muita história pra contar, senta que lá vem a história!

Mais de Bárbara Gondar

Wild: para respeitar Reese Witherspoon

Não vou mentir, fui assistir Wild porque uma amiga e minha terapeuta...
Leia mais