Representatividade: I Love Lucy & Bekka

A maior parte da produção audiovisual que acompanhamos é bem problemática em termos de representatividade. A porcentagem de mulheres protagonistas é super pequena e a grande parte dos filmes e séries simplesmente desconsidera a existência de mulheres não-brancas.

Por isso, séries com mulheres protagonistas me deixam realmente feliz. Coisas como Gilmore Girls, The Mindy Project, New Girl, Broad City e How To Get Away With Murder me fazem dar pulinhos. Pensar na Tina Fey e na Amy Poehler enche meu coração de alegria. Nem preciso falar de como representatividade é um negócio que muda a vida, né?

Já falei aqui na Ovelha sobre Ackee & Saltfish, uma websérie incrível e engraçada, e que é escrita, produzida e estrelada por mulheres negras. Por isso resolvi falar de I Love Lucy & Bekka, mais uma websérie sensacional, criada por uma mulher negra, e também centrada na relação de duas melhores amigas.

 
lucybekka2
 
A Lucy e a Bekka são interpretadas, respectivamente, por Kristolyn Llyod e Gina Rodriguez (que muita gente deve conhecer da série Jane The Virgin). As duas moram juntas desde o início dos seus vinte anos e a série exibe o tipo de intimidade hilária que surge nesse cenário. Os episódios todos são curtinhos e mostram as conversas estranhas que rolam entre as duas protagonistas.

O roteiro é super bom: os diálogos parecem conversas que nós realmente teríamos com nossas melhores amigas. A discussão delas sobre o que fazer caso uma morra e volte dos mortos como fantasma/zumbi é realmente uma conversa que eu já tive mais de uma vez.

O primeiro episódio chama “Christina Aguilera”. Nele, a Bekka está considerando um emprego novo onde ela precisaria cantar, então resolve mostrar suas habilidades enquanto a Lucy faz xixi, hehe:

 
https://www.youtube.com/watch?v=z1jXg1NJI_0
 
A criadora da série é a Rachael Holder. Ela se formou na Tisch School of the Arts da NYU, adora “The Office” e menciona “Drinking Buddies” como um de seus filmes preferidos, então já era de se esperar que seu trabalho fosse super legal.

 
rachael
 
Nessa entrevista no Huffington Post, a Rachael fala um pouco sobre como ela curte escrever sobre amizades entre mulheres. Ela também fala do significado de fazer uma websérie estrelada por duas mulheres não brancas (a Kristolyn é negra e a Gina é descendente de Porto-Riquenhos) e como é importante para ela ser uma voz para pessoas negras.

Ainda não sabemos se vai rolar uma segunda temporada ou não, mas fica de olho no Twitter da série pra não perder nada.

Mais de Bárbara Paes

Ouça: Aina More

A Aina More é uma rapper nigeriana incrível, que mora em Londres e...
Leia mais
  • Luis Henrique

    Maravilha!